Blog da Glória - Leopoldina (MG)


"Sociedade violenta"

Autor: Marilena Chauí

Quando: Conferência em Portugal ainda em 1993

"A sociedade brasileira é uma sociedade autoritária, sociedade violenta, possui uma economia predatória de recursos humanos e naturais, convivendo com naturalidade com a injustiça, a desigualdade e a ausência de liberdade e com os espantosos índices das várias formas institucionalizadas - formais e informais - de extermínio físico e psíquico e de exclusão política e cultural"



Categoria: Citação
Escrito por Glória às 00h36
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Ao votantes do NÃO e seus ancestrais

 "A História é um grande matadouro" (Hegel)

Parabéns, humanos votantes do NÃO! Seus ancestrais mataram com torturas e suplícios. Mas vocês são adeptos da arma de fogo, que mata sem sofrimento.  EVOLUÍRAM! Pesquisei sobre o "matadouro da História" e concluí que o NÃO representa evolução e modernidade. Comparem com os instrumentos de matar antiquados do nosso "imenso matadouro" da História (Ah, Hegel, cheguei a ter esperança de que estivesse errado!) e sintam orgulho do "não" provando que não são cruéis como seus ancestrais. Vocês optaram por matar rápido, sem dor e agonia. Com o comércio de armas livre, mataremos mais, muito mais. Mas sem suplício! É um avanço da humanidade.  A arma é misericordiosa. Parabéns aos votantes do NÃO ao desarmamento!

Aí vai a pesquisa de armas usadas por seus ancestrais ao longo da CIVILIZAÇÃO:

 

1 - Espada, Machado e Cepo - Decapitação com espada. 2 - O Garrote - Um poste de madeira com um colar de ferro, que se apertava progressivamente, matando por asfixia. 3 - Emparedamento -  A vítima era sepultada viva, morrendo de sede e fome, ou simplesmente asfixiada. 4 - Gaiolas Suspensas - As vítimas, nuas ou quase nuas, eram fechadas nas gaiolas e morriam de fome e sede, de frio e insolação. 5 - Roda Para Despedaçar - A vítima, nua, era esticada de barriga para cima na roda com os membros atados a estacas de ferro. O verdugo aplicava golpes, destroçando as articulações e partindo os ossos. 6 - Submersão em Azeite - O vítima era suspensa pelos braços no teto, dentro de um caldeirão com azeite em ebulição. 7- A serra -  A vítima, suspensa pelos pés, era serrada ao meio, de cima para baixo, a partir de entre as pernas. 

 8 - Empalamento - Deitava-se a vítima de bruços e enfiava-se-lhe no ânus, no umbigo -  ou, sendo mulher, na vagina - uma estaca para transfixar o corpo no sentido longitudinal, rasgando as entranhas. 9 - Cremação ou Fogueira -  A vítima era queimada viva na fogueira 10 - Mesa de Evisceramento - Mesa com uma roldana, sistema de cordas e ganchos. O verdugo introduzia os ganchos nas entranhas, que eram puxadas para fora, com a vítima ainda viva. 11- Esmaga-cabeça - Capacete no qual se colocava o queixo do torturado. Comprimia-se a cabeça até destroçar  dentes e mandíbulas, os olhos saltavam e o cérebro vazava pelo crânio fraturado. 12 - A Dama de Ferro - Sarcófago com pregos que, ao fechar-se a porta, penetravam no corpo da vítima. 13 - Gaiola de Cravos - Gaiola com pontas de ferro. A vítima era trancada na gaiola e o torturador, com um ferro em brasa  espetava o prisioneiro. 14 - O cavalo de estiramento - A vítima era deitada no aparelho, seus membros presos às extremidades e esticados até à morte. 15 - As Aranhas Espanholas - Ganchos de quatro pontas para içar a vítima pelos pulsos, nádegas, ventre, seios ou tornozelos, enquanto as pontas enterravam-se lentamente na carne. 16 - Cadeira de Interrogatório - Cadeira de ferro coberta de pontas afiadas. A vítima, sempre nua, era amarrada na cadeira recebendo golpes e a cadeira era aquecida até que se transformasse em brasa. 17 - O Esmagador de Polegares - O esmagamento das falanges dos dedos e a arrancamento das unhas.18 - Potro - Uma prancha com orifícios e cordas que arrochavam os braços, as coxas, as panturrilhas, com efeito de um torniquete. 19 - Quebrador de Joelhos - duas  barras destinadas a comprimir, até fraturar os joelhos. 20 - Pêra Oral, Retal e Vaginal - Instrumentos em forma de pêra colocados na boca, no reto ou na vagina, e ali eram abertos, por meio de um parafuso. Tinha pontas em gancho, que destroçavam a garganta, o reto ou a raiz do útero.21 -Tortura da Água - Enfiava-se um trapo na boca da vítima amarrada e deitava água aos poucos no trapo, fazendo-o inchar, provocando sufocação.22 - As Garras de Gato - Grandes tridentes para escarnar o corpo, arrancando a carne, até a exposição dos ossos. 23 - Ferros de Marcar a Quente - Para marcar condenados no ombro, na face ou na testa. 24 - A Cegonha - Algema que unia  pés e mãos,  provocando cãibras nos músculos retais e abdominais, nos peitorais, cervicais e em contínua e atroz agonia. 25 - A Mordaça de Ferro - Aro de ferro no qual colocava-se a boca da vítima, fechando-se na nuca. Uma minúscula abertura permitia a entrada do ar, provocando a asfixia da vítima. 26 - A "Forquilha do Herege" - Colar de ferro com espeto duplo, que se encravavam no queixo e sobre o esterno da vítima. 27 - Cinturão de Contenção - Aplicava-se o cinturão à cintura da vítima, os pulsos eram presos por braçadeiras. A pessoa era submetida a torturas e abandonada à morte. 28 - Colar de Puas - Colar de picos pesando mais de cinco quilos, descarnava o pescoço, ombros e maxilares. 29 - Cavalete - Para imobilizar as vítimas durante a tortura ou mutilação.30 - Chicotes de Correntes - com duas, três, até oito correntes - com lâminas cortantes nas pontas. 32 - Arma de fogo - Um instrumento que deflagra uma bala mortífera. A morte é rápida e sem dor.

 

NÃO FOI UM GRANDE AVANÇO? Parabéns a todos que são a favor da morte por arma de fogo, do contrário poderíamos voltar aos instrumentos citados acima, já que desistir de matar o nosso próximo não está DEFINITIVAMENTE nos planos da HUMANIDADE. Eu, como sou contra o assassinato, com dor ou sem dor, voto no SIM.



Escrito por Glória às 01h45
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




"Educação autoritária"

Autor: Célestin Freinet

"Nos habituamos todos de tal forma a comandar as crianças e a exigir delas uma obediência passiva que não pensamos na possibilidade de haver uma outra solução para a educação que não seja a fórmula autoritária (...)".



Categoria: Citação
Escrito por Glória às 00h23
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


 
Histórico
Categorias
  Todas as Categorias
  Citação
  MÚSICA
  INFORMATIVO
  ECOLOGIA
  CIDADANIA
  LITERATURA
Outros sites
  Cremilda dentro da escola
  Jornais do Mundo
  Cidadão do Mundo
  Agência Carta maior
  Site sobre Budismo
  A Escola do Saber
  EducaFórum - o blog
  Marta Bellini - Maringá
  Pais Online
  ONG ambiental - Bahia
  AFROPRESS
  Jean Scharlau (RS)
  Contradições - Leandro
  Roberto Balestra (PR)
  Lelê Teles - Brasília
  Blog do RECOMEÇO
  Blog do Urariano
  Márcio - Palavra Sinistra
  Bodega Cultural
  Pensar enlouquece
  Blog da Maya
  Sobre DISLEXIA
  Juliaura Bauer-Porto Alegre
  Romério Rômulo - POESIA
  TAMOS COM RAIVA
  JORNAL LEOPOLDINENSE
  UNICEF
  Blog da Irmã Bethe
  Blog do José do Carmo
  Cálidos segredos
  Jornalismo B
  caquis caídos
  Mauro A. da Silva-COEP